sábado, 11 de outubro de 2008

PESQUISA LINGÜÍSTICA

Na aula do dia 02/10 tive a oportunidade de ler uma crônica de um ex-aluno meu, Matheus. Ele a escreveu ano passado, no segundo ano do ensino médio e me deu de presente. Ela se chama Feliz Aniversário. É tão tocante, madura, profunda. E foi escrita por um aluno de ensino médio. Ele é muito talentoso. A história é sobre seu avô, homem cheio de histórias, mas que, nesse aniversário, sofre com um câncer que lhe rouba as forças e a memória. Minhas colegas gostaram muito.
A Erli compartilhou conosco uma experiência de sala. Isso nos levou a uma ampla discussão sobre problemas que enfrentamos.
No segundo momento da aula, lemos um texto sobre pesquisa lingüística, tirado de uma obra do professor Marcos Bagno. Nos dividimos em grupos, lemos e depois apresentamos ao resto do grupo nossa parte.

Um comentário:

Jeosafá disse...

Suas práticas em sala de aula, pela descrição feita, buscam dar voz a uma parte silenciada pela escola: o estudante. Três mil vezes vivas, três mil vezes repitaS o que faz. Vou te entrevistar, pode?

1) Você tem alguma metodologia particularmente desenvolvida para leituras em voz alta, individual ou em grupo?

2) Se apoia em alguma bibligrafia especisalizada sobre práticas de ensino? Pode citar alguns autores específicos, caso a resposta seja sim?

3) Nas suas aulas, você daria que peso às técnicas pedagógicas?

4) E com relação à sua intuição, quanto ela pesa no sucesso de sua arte de ensinar e no estabelecimento de um relacionamento afetivo e intelectual saudável com os estudantes?

5) Você acha proveitoso a estimulação da memória dos alunos. Ou antes, você, por meio de suas atividades busca também estimular a memória linguísitica, visual, audiovisual etc. de seus alunos?

6)E com relação à leitura para estudo/silenciosa em sala de aula ou fora dela?

7) Ops! Para que níveis de ensino mesmo você leciona? Somente para o Médio?

8) O pessoal parado no tempo não acha que você mata aula ao promover leitura em sala ou ao empregar recursos de audiovisual e de teatro?

9) Você se sente isolada nessa postura aberta e desprendida ou há na(s) escola(s) em que leciona um grupo ou ao menos um ombro amigo para confortar?

10) Que tipo de aluno/estudante/cidadão/ser humano você está querendo ajudar a construir com sua docência?

Por hoje, é só essa a lição de casa, topas?


Amplexos do
jeosa
F Á